segunda-feira, 4 de julho de 2011

As invasões francesas cap.7 5ª Série


Portugal e Espanha foram os pioneiros na expansão marítima e comercial. Já haviam se apossado de muitas terras quando a França reuniu condições de entrar no movimento das Grandes Navegações.
Já no Período Pré-Colonial (1500-1530), devido à descoberta de pau-brasil em nossas florestas, o litoral brasileiro passou a sofrer ataques de corsários franceses. Eles contaram com a colaboração dos indígenas, que cortavam as árvores e transportavam os troncos até o litoral, em troca de presentes. Além da madeira, levavam também especiarias, ervas medicinais, cocares, peles diversas, papagaios e macacos.
Após 1530, por duas vezes tentaram fundar uma colônia no Brasil: a primeira vez no Rio de Janeiro e a segunda, no Maranhão.

A INVASÃO DO RIO DE JANEIRO (1555-1567)
Na época em que o Brasil colônia vivia sob o governo-geral, na França a religião protestante ganhava cada vez mais força, e o número de adeptos aumentava. Essa situação provocou vários conflitos religiosos no país, e os protestantes franceses, conhecidos como huguenotes, sofreram perseguições violentas por parte dos católicos.
O vice-almirante Nicolau Durand de Villegaignon planejou fundar uma colônia francesa no Brasil, que receberia o nome de França Antártica.
Essa colônia tinha como objetivos a exploração comercial dos produtos nativos e servir de abrigo religioso aos huguenotes.
Em 1555, a esquadra de Villegaignon chegou à Baía de Guanabara. Os franceses aportaram numa pequena ilha, a ilha de Serijipe (mais tarde chamada Villegaignon), onde edificaram um forte, denominado Forte Coligny.
Várias tribos indígenas da região de São Paulo e do Rio de Janeiro se uniram, fazendo uma aliança de guerra para apoiar os franceses, e formaram a Confederação dos Tamoios.
Em 1560, o governador Mem de Sá começou o ataque aos franceses. O Forte Coligny foi destruído. Em 1563, os padres Manuel da Nóbrega e José de Anchieta resolveram negociar a paz com os tamoios. Partiram para Iperoig (atual Ubatuba, no estado de São Paulo) e, após três meses, conseguiram que o chefe tamoio passasse para o lado dos portugueses. Foi a Paz de Iperoig.
Em 1565, Estácio de Sá, sobrinho do governador, que comandara os reforços enviados por Portugal, reuniu embarcações e pessoal, inclusive indígenas teminó, chefiados por Araribóia, e partiu para o Rio de Janeiro.
Em 1º de março, desembarcou na Baía de Guanabara e fundou, entre os Morros Cara de Cão e Pão de Açúcar, o povoamento de São Sebastião do Rio de Janeiro. Desse povoado, os portugueses atacaram as naus francesas e os indígenas que ainda permaneciam ao lado dos invasores.
Em 1567, Mem de Sá, reunindo novas forças, uniu-se ao seu sobrinho, e eles expulsaram definitivamente os franceses. Estácio de Sá foi ferido no rosto por uma flecha envenenada e morreu. Mem de Sá ordenou a mudança do povoado, e o lugar escolhido foi o Morro de São Januário, mais tarde chamado Morro do Castelo.

OS FRANCESES NO MARANHÃO (1612-1615)
No século XVII, os franceses resolveram organizar outra colônia no Brasil. Daniel de La Touche, senhor de La Ravardière, apoiado pelo governo da França, obteve a concessão de estabelecer essa colônia, a França Equinocial.
Em 1612, os franceses atracaram na Ilha do Maranhão, onde ergueram o Forte de São Luís, em homenagem ao rei da França, Luís XIII. A partir desse forte, exploraram a costa até a foz do rio Amazonas e entraram em contato com povos indígenas.
A expulsão dos franceses foi realizada sob o comando de Jerônimo de Albuquerque e Alexandre de Moura em 1615. A partir daí, Portugal sentiu que era necessário defender o Nordeste e o Norte brasileiros e deu início a um povoamento mais intenso nessas regiões.



Nome: __________________________
Turma: ________



1.   Coloque F para falso e V para verdadeiro:

a) A França iniciou suas navegações marítimas ao mesmo tempo que Portugal. ( )
b) A França nunca reconheceu o Tratado de Tordesilhas, que dividia o mundo apenas entre Portugal e Espanha. ( )
c) Os franceses tentaram fundar uma colônia no Brasil já em 1500, ano em que Pedro Álvares Cabral tomou posse da terra em nome de Portugal. ( )
d) Todos os ataques franceses ao litoral brasileiro foram impedidos pelos soldados portugueses, que aqui se encontravam em grande número, desde 1500. ( )

2. Qual o produto que mais atraiu os corsários franceses para o litoral brasileiro?
___________________________________________

3. Os franceses recebiam ajuda para explorar os produtos do Brasil? ________ De quem?____________

4. No Período Colonial, a partir de 1530, os franceses tentaram fundar colônias nas regiões do ____________ e do ____________________

5.   Os franceses queriam fundar no Rio de Janeiro uma colônia chamada __________________________. Os principais objetivos eram _____________________
___________________________________________

6. O que foi a Confederação dos Tamoios? Como terminou esse episódio?
___________________________________________
___________________________________________
___________________________________________
___________________________________________
___________________________________________
___________________________________________










7. Associe as duas colunas corretamente:
a) Mem de Sá
b) Estácio de Sá
c) Nicolau Durand de Villegaignon
d) Araribóia

( ) Fundou o Forte Coligny.
( ) Morreu em combate, devido a uma flecha envenenada que o atingiu no rosto.
( ) Governador-geral que iniciou a expulsão dos franceses do Rio de Janeiro.
( ) Fundou o povoado de São Sebastião do Rio de Janeiro.
( ) Chefe indígena que lutou a favor dos portugueses.


8. A segunda tentativa dos franceses de fundar uma colônia no Brasil ocorreu no ______________________.
Nessa região eles queriam fundar a chamada ____________________________________________

9.  Quem se destacou na expulsão dos franceses em 1615?
__________________________________________________________________________________________

10. A segunda invasão francesa ao Brasil levou Portugal a se preocupar com o__________________ mais efetivo do__________________ e do_________________________


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário